8 Posts
consulta seguro desemprego

Consulta seguro desemprego – Todos os trabalhadores que tenham seu contrato rescindido sem justa causa na iniciativa privada tem o direito de receberem o Seguro Desemprego, que é um auxílio disponibilizado pelo Governo Federal.

Trata-se de algo muito importante, pois quando desempregados, muitos trabalhadores ficam sem ter como ajudar na renda de sua família, algo que pode gerar dívidas, que consequentemente são aumentadas pelos altos juros que o mercado trabalha, ou seja, além de estarem desempregados, tem a possibilidade de ficarem mais endividados.

Com a ajuda do Governo Federal também é possível manter um padrão de vida razoável, obviamente ajustado, tendo em vista que o valor do Seguro Desemprego é inferior ao recebido mensalmente como salário, porém a diferença não é gritante, sendo algo próximo e que serve como subsídio para um período de três a cinco meses, em que fica como responsabilidade para o trabalhador a busca por um novo emprego. Caso não consiga outro emprego, não será renovado o Seguro Desemprego, tendo em vista que só pode ser solicitado uma vez a cada período de trabalho.

consulta seguro desemprego

O que é o Seguro Desemprego?

O Seguro Desemprego foi sancionado em 1990, fazendo parte dos primeiros programas sociais da redemocratização brasileira. Em mais de 20 anos, diversos ajustes foram feitos, acompanhando a política nacional e estabilizando em conjunto com a economia, que após o plano real e diversas medidas alcançou um patamar diferente do que apresentado no momento em que a lei foi aprovada.

Nesta situação, é necessário realizar mudanças todos os anos, sendo que para 2016 diversas mudanças foram feitas, porém nada que seja prejudicial ao trabalhador, que é o principal alvo do benefício. O valor também será diferente do que o aplicado em 2015 (o valor total é obtido após cálculo específico do Ministério do Trabalho).

Como solicitar o Seguro Desemprego?

Para solicitar o Seguro Desemprego é necessário acessar o site oficial do Ministério do Trabalho e clicar na aba específica, em que será preciso escolher o seu estado e cidade, para que assim a agenda seja aberta e o próprio trabalhador escolha uma data específica.

Com esse sistema tecnológico, as filas foram extintas e comumente todos que tem consulta agendada, são atendidos. Caso tenha marcado uma consulta e não possa comparecer, cancele anteriormente e facilite o trabalho do Ministério.

Como fazer consulta Seguro Desemprego?

Após ter o Seguro Desemprego aprovado, a maioria dos trabalhadores fica ansioso pelo momento em que receberão o valor, porém, novamente usando a tecnologia, não é necessário ir até a agência bancária para verificar se o valor já foi depositado na conta.

Acessando este link (https://sd.maisemprego.mte.gov.br/sdweb/consulta.jsf) é muito fácil para consultar o Seguro Desemprego, sendo que é preciso saber o número do PIS, que é um dos mais importantes para trabalhadores da iniciativa privada.

Caso após fazer a consulta Seguro Desemprego e tenha constatado que o valor ainda não foi depositado e o prazo já tenha esgotado, entre em contato com o Ministério do Trabalho. Esse sistema é seguro e não permite que nenhuma movimentação financeira seja feita, servindo apenas para consulta.

agendar seguro desemprego

Agendamento seguro desemprego – Se você foi demitido e precisar fazer o agendamento seguro desemprego, então preste bem atenção em todas as informações abaixo:

O Seguro Desemprego é um benefício do trabalhador brasileiro da iniciativa privada, instituído em 1990 no país e alterado constantemente até a versão 2016, que apresenta algumas alterações em relação aos anos anteriores.

Com o advento da internet e o grande aparato tecnológico em que os brasileiros convivem, foi possível lançar um sistema virtual, sendo que todas as consultas devem ser agendadas anteriormente, fazendo com que as filas diminuam e o cronograma fique otimizado, sendo assim é possível atender um número maior de pessoas num espaço de tempo menor, tudo isso proporcionado pela implantação de elementos tecnológicos.

Este seguro é importante tanto para o trabalhador quanto para seu grupo familiar, pois através do mesmo é possível atravessar fases difíceis da vida, que são justamente (na maioria das vezes), aquele em que se está sem emprego. Não recebendo o salário, o trabalhador acaba impossibilitado de cumprir com suas contas, fazendo com que sua vida entre em um estado transitório complicado.

Com esse valor pago pelo Governo Federal, é possível atravessar essa fase em melhores condições, além de servir como um apoio estatal em momento de demissão em massa, em que muitas famílias ficam em situação de risco, sendo que em alguns casos mais de uma fonte de renda é perdida em virtude de demissões.

Seguro desemprego, o que é?

O Seguro Desemprego é um direito do trabalhador da iniciativa privada, que deve estar executando atividade remunerada dentro das condições exigidas pelo Ministério do Trabalho, ou seja, com carteira assinada e devidamente registrado em todos os órgãos legais. Esse pagamento é feito de três a cinco parcelas, sendo que isso pode ser feito de maneira continua ou alternada, dependendo da análise da situação individualmente por parte do órgão competente.

Seguro desemprego 2016

Como dar entrada no seguro desemprego

Para dar entrada no Seguro Desemprego o trabalhador deve estar com os formulários necessários, que devem ser entregues pelo contratante no encerramento do vínculo. Caso a empresa não tenha lhe fornecido nenhum documento, entre em contato e exija todas as informações referentes a rescisão contratual.

Além disso é necessário ter a carteira de trabalho, o comprovante de inscrição no PIS/PASEP, que pode ser substituído pelo cartão cidadão, comunicado de dispensa e requerimento do seguro desemprego, já devidamente preenchidos, termo de rescisão contratual, acompanhado dos termos que atestem a quitação de todas as obrigações de ambos os lados. Além disso são exigidos comprovantes do FGTS e a carteira de identificação com foto, carteira de identidade.

Agendamento seguro desemprego

O agendamento seguro desemprego deve ser feito através do site oficial do Ministério do Trabalho. Essa consulta é muito simples, bastando acessar a página principal e selecionar a aba específica, em que é necessário filtrar conforme estado e cidade, para que assim uma consulta seja marcada no local mais próximo.

É muito importante ficar atento aos prazos, pois em caso de faltas é possível que o benefício seja suspenso. No caso de saber que não poderá comparecer, entre no site e faça a solicitação do adiamento, para que assim vagas sejam abertas para outras pessoas. Para agendar seguro desemprego pela internet é bem simples, siga as orientações abaixo:

Agendamento seguro desemprego Ministério do Trabalho

Para fazer o agendamento seguro desemprego basta entrar no site do Ministério do Trabalho no link abaixo:

Agendar seguro desemprego MTE

Selecione o seu estado, o município,  a unidade de atendimento e o tipo de atendimento que neste caso é ‘entrada seguro desemprego’.

Clique em prosseguir e em seguida informe o CPF, data de nascimento e telefone

agendamento seguro desemprego

Depois que concluir esta etapa irá a aparecer a tela abaixo com datas possíveis do agendamento seguro desemprego, marque as datas que aparecer para você disponíveis, que são os quadrinhos brancos, cada unidade vai aparecer datas diferentes, escolha a sua e aguarde para dar entrada no seguro desemprego

agendar seguro desemprego

Em caso de dúvidas, antes de fazer o agendamento do seguro desemprego no Ministério do Trabalho, pesquisa acerca de suas principais dúvidas. Todas as informações estão disponíveis nos sites do próprio ministério, além é claro da Caixa Econômica Federal, instituição financeira estatal que fica responsável pela avaliação e pagamento da maioria dos programas sociais, que foram instituídos em massa após o período de redemocratização do Brasil.

Vale ressaltar que o seguro desemprego é temporário e serve como transição, portanto não é possível receber esse valor de forma vitalícia.

seguro desemprego 2016

Seguro desemprego 2016 – O Seguro Desemprego é um importante benefício para os trabalhadores brasileiros, estando em vigor desde 1990 e sendo direcionado para a iniciativa privada. Cada profissional, demitido, que esteja dentro dos padrões pré-estabelecidos, poderá estar recebendo de três a cinco parcelas, para que assim consiga atravessar mais tranquilamente a fase de desemprego e tenha orçamento para o período em que busca outra oportunidade empregatícia.

Faz parte de um seleto grupo de benefícios sociais que foram instituídos logo após a redemocratização, iniciada em 1985, sendo que sua fase inicial era muito diferente do que foi até agora.

Para O seguro desemprego 2016, algumas mudanças, que serão detalhadas em seguida, fazendo assim com que o aperfeiçoamento deste direito ocorra ano a ano, adaptando com os diferentes contextos sociais que o país passa.

A consolidação do seguro desemprego deu-se principalmente neste século, quando a moeda adquiriu estabilidade e a política econômica evoluiu, possibilitando assim com que fosse possível equilibrar as contas públicas com os gastos com benefícios sociais, que mantém a maioria dos brasileiros em um patamar aceitável dentro das condições adequadas para vida.

seguro desemprego 2016

Novas regras seguro desemprego 2016

Para 2016 o Seguro Desemprego tem algumas regras bem específicas. Para que fique claro, vamos detalhar cada uma delas.

Quanto ao recebimento de salários, é necessário ter recebido pelo menos 12 meses em relação aos últimos 18. Em referência aos últimos 12 meses, é necessário ter recebido salário durante 9 deles. Além disso, é preciso ter recebido de forma ininterrupta os últimos 6 meses em relação a data de dispensa. Essa referencia é para ter direito ao seguro desemprego 2016.

Essas novas regras fazem com que o trabalhador tenha que comprovar que realmente esteve envolvido por um período razoável dentro de seu último emprego, evitando assim fraudes e o forçamento de rescisão, prática que alguns funcionários tomavam, agindo de má fé e tentando ludibriar os seus patrões e o Governo Federal.

Valor e parcelas seguro desemprego

Em relação as parcelas, a nova lei é muito específica: “O benefício do seguro-desemprego será concedido ao trabalhador desempregado, por período máximo variável de 3 (três) a 5 (cinco) meses, de forma contínua ou alternada, a cada período aquisitivo, contados da data de dispensa que deu origem à última habilitação, cuja duração será definida pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat)” (Fonte: Planalto.gov.br)

Sendo assim, fica claro o período em que é possível estar recebendo o seguro desemprego. Em relação ao número de parcelas, o Governo Federal também instituiu algumas considerações.

O pagamento será de 4 parcelas caso o trabalhador tenha recebido entre 12 e 23 meses. Para 5 parcelas, o trabalhador deverá ter recebido no mínimo 24 meses. Essa regra apenas é aplicada para a primeira solicitação do direito social.

Quem buscar o seguro desemprego pela segunda vez, receberá 3 parcelas caso comprove recebimento entre 9 e 11 meses. 4 parcelas para aquelas que receberam entre 12 e 23 meses e finalmente 5 parcelas para quem comprovar recebimento por no mínimo 24 meses.

Na terceira solicitação do seguro desemprego, o trabalhador receberá 3 parcelas caso comprove entre 6 a 11 meses de salário (período anterior a demissão). 4 parcelas para quem comprove de 12 a 23 meses e 5 parcelas para período acima de 24 meses.

No caso de a demissão ter ocorrido no meio de um mês, conta-se mês inteiro para valores iguais ou superiores a 15 dias trabalhados.

Seguro desemprego 2016

Para solicitar o seguro desemprego em 2016, o sistema será igual, sendo necessário ter todos os documentos referentes a rescisão, bem como comprovantes de inscrição no PIS e demais informações individuais, que devem ser apresentadas em uma consulta previamente agendada.

O agendamentos do seguro desemprego ocorre no site do Ministério do Trabalho, sendo que é imprescindível comparecer no dia marcado, sob pena de perder o benefício em caso de faltas. Se não puder comparecer no dia de sua consulta, cancele previamente e marque outra data, pois assim estará ajudando o órgão a ter uma melhor organização e a executar seu trabalho de maneira agilizada.

Nova lei do seguro desemprego

Nova lei do seguro desemprego – Conheça aqui tudo sobre a lei do seguro desemprego 2016, a lei 13.134 de 16 de junho de 2015.

A nova lei do seguro desemprego entrou em vigor no mês de junho de 2015 e a partir da data de sua vigência todos recebem o seguro desemprego conforme esta lei.

A lei do seguro desemprego 2016 foi editada para fazer parte do ajuste fiscal do governo federal para diminuir as contas do governo e também para equilibrar o pagamento das parcelas do seguro desemprego. As mudanças mais significativas foi em relação ao tempo de trabalho para a primeira e segunda solicitação.

A nova lei do seguro desemprego substitui a redação dada pela lei 7.998 de 11 de janeiro de 1990.

Veja também:

Nova lei do seguro desemprego

Nova lei do seguro desemprego

Vamos ver agora as principais mudanças da nova lei seguro desemprego 2016

Primeira solicitação do Seguro Desemprego 2016

para a primeira solicitação:

  • 4 (quatro) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 12 (doze) meses e, no máximo, 23 (vinte e três) meses, no período de referência; ou
  • 5 (cinco) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 24 (vinte e quatro) meses, no período de referência.

Segunda solicitação do Seguro Desemprego 2016

para a segunda solicitação:

  • 3 (três) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 9 (nove) meses e, no máximo, 11 (onze) meses, no período de referência;
  • 4 (quatro) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 12 (doze) meses e, no máximo, 23 (vinte e três) meses, no período de referência; ou
  • 5 (cinco) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 24 (vinte e quatro) meses, no período de referência;

Terceira solicitação do Seguro Desemprego 2016

a partir da terceira solicitação:

  • 3 (três) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 6 (seis) meses e, no máximo, 11 (onze) meses, no período de referência;
  • 4 (quatro) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 12 (doze) meses e, no máximo, 23 (vinte e três) meses, no período de referência; ou
  • 5 (cinco) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 24 (vinte e quatro) meses, no período de referência.

A fração igual ou superior a 15 (quinze) dias de trabalho será havida como mês integral.

Lei 13.134/2015

Veja abaixo o resumo da nova lei do seguro desemprego em um infográfico

segurodesemprego_2016

Infográfico: G1.com.br

Seguro desemprego 2016

Quem tem direito ao seguro desemprego – Nova lei do seguro desemprego

  • Tem direito ao seguro desemprego o trabalhador demitido sem justa causa que tenha trabalhado com carteira assinada no minimo 12 meses nos últimos 18 meses.
  •  Estiver desempregado, quando do requerimento do benefício;
  •  Não possuir renda própria para o seu sustento e de sua família;
  •  Não estiver recebendo benefício de prestação continuada da Previdência Social, exceto pensão por morte ou auxílio-acidente.

O que é seguro desemprego

O Seguro Desemprego é um benefício integrante da seguridade social que tem por objetivo, além de prover assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa, auxiliá-lo na manutenção e na busca de emprego, promovendo para tanto, ações integradas de orientação, recolocação e qualificação profissional.

O trabalhador no período que estiver recebendo o seguro-desemprego, não pode receber outra remuneração oriunda de vínculo empregatício formal ou informal.

Calcular seguro desemprego 2016

calcular seguro desemprego nova lei

Para fazer o calculo do seguro desemprego 2016, use os dados da tabela acima.

Qualquer dúvida sobre a nova lei do seguro desemprego e suas novas regras, deixe um comentário que responderemos.

Tabela seguro desemprego

O MTE divulgou a Tabela Seguro Desemprego 2016, no dia 11/01/2016, esta é uma tabela esperado por todos, pois a partir dela é possível saber qual o valor a receber nas parcelas do seguro desemprego. Confira aqui as informações sobre a tabela seguro desemprego 2016 atualizada.

O seguro desemprego criado com a finalidade de dar um suporte ao trabalhador enquanto tivesse desempregado, foi instituído em 1990 e em 2015 as regras para a solicitação foram mudadas.

Como dar entrada no seguro desemprego

Para dar entrada no seguro desemprego o trabalhador tem de 7 a 120 dias apos a data de demissão para poder requerer o beneficio. Agora a solicitação é feita exclusivamente pela internet, há a necessidade de fazer o agendamento seguro desemprego pela internet:

Documentos necessário para dar entrada no seguro desemprego:

– Requerimento de Seguro Desemprego / Comunicação de Dispensa impresso pelo Empregador Web no Portal Mais Emprego;

– Cartão do PIS-Pasep, extrato atualizado ou Cartão do Cidadão;

– Carteira de Trabalho e Previdência Social- CTPS (verificar todas que o requerente possuir);

– Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho – TRCT devidamente quitado;

– Documentos de Identificação: Carteira de identidade; ou Certidão de nascimento; ou

Certidão de casamento com o protocolo de requerimento da identidade (somente para recepção); ou Carteira nacional de habilitação (modelo novo); ou Carteira de trabalho (modelo novo); ou Passaporte ou certificado de reservista.

– Três últimos contracheques, dos três meses anteriores ao mês de demissão;

– Documento de levantamento dos depósitos do FGTS (CPFGTS) ou extrato comprobatório dos depósitos ou relatório da fiscalização ou documento judicial (Certidão das Comissões de Conciliação Prévia / Núcleos Intersindicais / Sentença / Certidão da Justiça).

– Comprovante de residência.

– Comprovante de escolaridade.

Tabela Seguro Desemprego 2016

Com a divulgação da tabela seguro desemprego 2016 agora é possível calcular o seguro desemprego, saber qual o valor a receber nas parcelas que o trabalhador tem direito.  O valor minimo da parcela é de R$ 880,00 e o máximo é de R$ 1.542,24.

Tabela Seguro Desemprego 2016

Como calcular Seguro Desemprego

Com a tabela seguro desemprego 2016 agora fica fácil calcular o valor da parcela do seguro desemprego. Para calcular deve-se levar em conta os 3 últimos salários mínimos. Vamos a um exemplo prático.

Vamos supor que José tenha direito a receber 3 parcelas do seguro desemprego e que seu salario nos últimos três meses tenha sido os seguintes:

Antepenúltimo mês: R$ 1.200,00

Penúltimo mês: R$ 1.200,00

Último mês: R$ 1.400,00

Media salarial = 1.200,00 + 1.200,00 + 1.400,00/3

Média salarial = R$ 1.266,67

Portanto José teve de média salarial nos últimos 3 meses R$ 1.266,67, conforma a tabela seguro desemprego 2016, este valor deve ser multiplicado por 0.8 para se obter o valor da parcela do seguro desemprego.

R$ 1.266,67 * 0,8 = R$ 1.013,32

José vai receber 3 parcelas do seguro desemprego de R$ 1.013,32

Agendar seguro desemprego

Agendar seguro desemprego – No momento da demissão, todos os funcionários da iniciativa privada tem o direito de requisitar o Seguro Desemprego, que é um auxílio oferecido pelo Governo Federal, que fornece algumas parcelas de um valor estabelecido em cálculo específico para que as famílias consigam manter um padrão de vida estável enquanto fazem ajustes e enquanto o próprio trabalhador, agora desempregado, busca outras opções.

Para solicitar estes valores, é necessário comparecer em uma consulta no Ministério do Trabalho (explicaremos como agendar nos tópicos seguintes), em que deve-se levar todos os documentos importantes referentes ao vínculo empregatício, bem como os de identificação individual, para que assim seja possível fazer o cálculo e passar a ser um dos beneficiários do Seguro Desemprego.

Todo trabalhador pode solicitar o seguro por mais de uma vez, no entanto é importante ressaltar que é necessário ter um mínimo de tempo trabalhado para que os valores sejam disponibilizados. Para receber cinco parcelas, tempo máximo do Seguro Desemprego, são exigidos 24 ou mais meses trabalhados na mesma empresa.

Não é possível emendar mais de um benefício, ou seja, se o trabalhador esteja recebendo o Seguro Desemprego de cinco meses e neste tempo não consiga outro emprego, não será permitida a requisição de um novo benefício, pois o Governo Federal considera que o tempo disponibilizado é suficiente para que seja encontrada uma nova oportunidade de trabalho.

O tempo de serviço, que na maioria das vezes é associado à qualidade profissional e dedicação do funcionário, também é gratificada, sendo que quanto mais meses forem trabalhados, maior o número de parcelas. Três parcelas é o tempo mínimo, para quem comprovar 6 meses de serviço, enquanto cinco parcelas é o tempo máximo de recebimento, sendo que é necessário ter 24 ou mais meses de serviço, ou seja, no mínimo 2 anos no mesmo emprego.

Mas esta condição de tempo de serviço tem a ver com a quantidade de solicitação, se é a primeira, segunda ou terceira.

Agendar seguro desemprego

Agendar seguro desemprego pela internet

Pela internet é muito fácil de agendar Seguro Desemprego, bastando seguir até o site do Ministério do Trabalho e selecionar aba específica, de agendamento, fazendo um filtragem entre estado e município, até que chegue na sua cidade, em que será possível escolher um dia entre os disponíveis para a realização de uma consulta.

Agendamento do seguro desemprego >>> AQUI

É muito importante já estar portando todos os documentos rescisórios e organizar o máximo de informações individuais possíveis, pois neste tipo de procedimento constantemente são exigidos alguns documentos bem específicos.

Agendar seguro desemprego pelo telefone

É possível ligar para alguma agencia do Ministério do Trabalho de sua cidade e pedir informações acerca do agendamento, no entanto os atendentes recomendarão que o acesso seja feito através do site oficial do órgão.

Caso você não tenha acesso a internet ou computador, busque a Prefeitura Municipal e peça ajuda para um funcionário público. Outra opção é pedir que algum parente use sua conexão para fazer o agendamento.

O sistema online foi implantado visando diminuir as filas e agilizar os atendimentos, sendo que uma demanda cabível de pessoas são direcionadas para cada dia, evitando também que cidadãos percam a viagem por falta de tempo hábil para seu atendimento. Caso não possa comparecer no dia agendado, faça o cancelamento, pois assim estará abrindo vaga para outro trabalhador.

Agendar seguro desemprego Ministério do Trabalho

Após o agendamento, durante a consulta, serão apresentados todos os documentos e o profissional analisará todo o caso, fazendo uma simulação com referência no valor recebido durante o tempo de serviço. O cálculo do valor da parcela não leva em conta a quantidade de vezes que ela será paga, ou seja, é um cálculo individual em relação ao salário declarado e ao tempo de serviço.

Todos os valores serão reajustados para 2016, tendo em vista que diversos cortes e mudanças ocorrerão no Governo Federal.

seguro desemprego parcelas

Seguro desemprego parcelas – O Seguro Desemprego é um benefício que todos os trabalhadores da iniciativa privada podem solicitar após terem seus contratos rescindidos. Trata-se de um apoio financeiro do Governo Federal que visa auxiliar em momentos de transição, em que é necessário ter condições para sustentar-se, bem como, no caso de quem é líder familiar, prover condições básicas para seus entes.

Para começar a receber este benefício, é importante ficar atento às recomendações do Ministério do Trabalho, que tem leis específicas sobre como cada interessado deve proceder no agendamento e quais documentos deve apresentar no momento da requisição.

seguro desemprego parcelas

Quem tem direito seguro desemprego

Os trabalhadores que tem direito ao Seguro Desemprego são aqueles que tenham recebido salário da iniciativa privada por pelo menos:

  1. 12 meses nos últimos 18, sendo que a contagem começa imediatamente após a data de rescisão. Meses trabalhados por número de dias igual ou superior a 15 são contabilizados como integrais.
  2. Ter exercido atividade remunerada em 9 dos últimos 12 meses.
  3. Ter trabalhado integralmente no último semestre (6 meses)

Estando dentro destas condições o trabalhador tem o direito de solicitar o Seguro Desemprego no momento da rescisão.

Seguro desemprego parcelas

Segundo a nova lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff, as parcelas ficam divididas em relação ao tempo de trabalho exercido. Está previsto em lei todo o regulamento do parcelamento, seja para primeira ou segunda solicitação do Seguro Desemprego.

Receberá 4 parcelas o trabalhador que tiver vínculo de 12 meses, enquanto os que trabalharem por 24 ou mais meses, receberão cinco parcelas. Essa é a regra para a primeira solicitação do Seguro Desemprego.

Para a segunda solicitação, receberá 3 parcelas quem comprovar vínculo de 9 a 11 meses. 4 parcelas para os que trabalharem pelo menos 12 meses, enquanto, novamente, receberão 5 aqueles que tiverem trabalhado por no mínimo 24 meses.

A partir da terceira solicitação, fica regulamentado que receberão 3 parcelas quem comprove pelo menos um semestre de trabalho. 4 parcela para 12 a 23 meses, enquanto recebem cinco apenas aqueles que tenham sido funcionários por 24 meses.

Importância do Seguro Desemprego

O Seguro Desemprego é muito importante para que as pessoas consigam atravessar fases de dificuldade na vida, que são justamente aquelas em que não tem orçamento para honrarem com suas obrigações.

Em épocas de crise econômica, muitas demissões ocorrem, fazendo com que seja necessário o apoio do Governo Federal, para que assim consigam superar estes períodos, que são temporários.

Seguro desemprego vai acabar?

Muitos boatos acerca do Seguro Desemprego são veiculados, no entanto a maioria não passam de falsas notícias. Mesmo com situação difícil economicamente, este é um dos compromissos do Governo Federal, que fará manutenção de todos os seus programas sociais, que podem ter cortes, no entanto não atingindo aqueles que mais precisam.

A lei foi alterada, sendo que todas as informações referentes a nova regulamentação estão neste artigo. As parcelas serão executadas conforme abordamos nos tópicos anteriores. Para solicitar seu Seguro Desemprego, acesse o site oficial do Ministério do Trabalho e agende uma consulta.